Colégio de Consultores

Pe. Enio Rigo

Pe. Saulo Faccin

Pe. Ruben Natal Dotto

Pe. Vanderlei Luiz Cargnin, SAC

Colégio de consultores (Cân. 502)

 

_ É livremente nomeado pelo bispo e constituído por sacerdotes (6-12) membros do conselho presbiteral por cinco anos ou até que tenha sido constituído novo colégio. Se deixam o conselho presbiteral permanecem no colégio até o fim de seu mandato.

_ É presidido pelo bispo ou pelo que substitui interinamente o bispo ou na falta deste pelo sacerdote mais antigo por ordenação membro do colégio.

 

1. Deve ser ouvido:

_ para nomeação e a remoção do Ecônomo diocesano (Cân 494 §§1,);

_ para pôr os atos de maior importância econômica para a diocese (Cân. 1277);

 

2. Deve dar o próprio consentimento:

_ para os atos de administração extraordinária (1277),

_ para os atos de alienação dos bens (1292 § 1),

_ para conceder a incardinação ou excardinação de clérigos (272),

_ para que o administrador diocesano possa dar as cartas demissórias para a ordenação (1018 § 1),

_ para que o administrador diocesano possa remover o chancelar e os notários da cúria (485).

 

3. Intervém no governo interino da diocese:

_ Elegendo o administrador diocesano (Cânn 419, 421 § 1),

_ Recebe a renúncia do administrador diocesano (Cân. 430 § 2),

_ Informa a Santa Sé da morte do bispo diocesano (Cân. 422),

_ Deve estar presente na posse do novo bispo diocesano e do bispo coadjutor ou auxiliar (Cânn. 382 § 3; 404),

_ Em caso de sé impedida deve eleger o sacerdote que governe a diocese se não há a lista que o bispo deve preparar após a posse e confiar sob segredo ao chanceler (Cân. 413).

clips.png