top of page
Buscar

Regional Sul 3 repassa 640 mil às dioceses com maior número de municípios atingidos pelas chuvas

A Campanha lançada pelo Regional Sul 3 no dia 06 de setembro em favor das vítimas do ciclone extratropical que atingiu o Rio Grande do Sul no início do mês já mobilizou milhares de pessoas e será um sinal de solidariedade para muitos necessitados. Até esta terça-feira (26), a iniciativa arrecadou R$ 873.408,92, depositados na conta da CNBB Sul 3.

O montante já começou a ser distribuído pelo Regional, que repassou à Diocese de Santa Cruz do Sul o total de R$ 270 mil, à Diocese de Montenegro outros R$ 270 mil e à Diocese de Bagé R$ 100 mil. Estas, junto com a Diocese de Caxias do Sul, foram as que tiveram o maior número de municípios afetados no Estado, entre eles Muçum, Venâncio Aires, Roca Sales, Estrela, Encantado, Lajeado e Arroio do Meio, Venâncio Aires, Rio Pardo, Cruzeiro do Sul, São Gabriel, Rosário do Sul, Pinheiro Machado, Dom Pedrito e Bagé.


A volta para casa


A Assistente Social da Diocese de Santa Cruz do Sul, Dianefer Berté, explica que os recursos recebidos da CNBB Regional vão auxiliar a suprir as necessidades das famílias que começam a retornar para suas casas, onde sobrou pouca coisa:

Até o momento recebemos retornos com pedidos de botijão de gás, geladeira, fogão a gás, camas solteiro e casal, colchão casal, balcão de pia, panelas, lâmpadas. O levantamento segue juntamente com os párocos e serviços de caridade das paróquias atingidas para investir o recurso recebido na real necessidade das famílias, explica Dianefer.

Na Diocese de Montenegro, o bispo diocesano dom Carlos Romulo Gonçalves e Silva acredita que o atendimento emergencial de roupas e alimentos já passou, mas prevê que as dificuldades ainda devem perdurar por muito tempo. A preocupação é garantir o apoio às famílias que mais necessitam, tanto com o apoio da CNBB, como através do Fundo Diocesano de Solidariedade e outras doações que receberam. Segundo dom Carlos, as principais necessidades neste momento são reconstruir e reequipar as casas.

Muitas pessoas ficarão sem emprego, pois o local de trabalho também foi destruído. Nossa intenção primeira, como Diocese, é Roca Sales, que foi a localidade mais atingida, mas também Estrela e outros municípios que foram muito afetados. Na próxima sexta-feira, vamos nos reunir, para pensar ações a médio prazo, relata o bispo diocesano.

Dom Carlos, que é também Secretário da Presidência da CNBB no Regional Sul 3, vê a importância do apoio às dioceses principalmente como sinal de comunhão: “ser igreja solidária em todas as circunstâncias”. O bispo sente que a Igreja Católica no Rio Grande do Sul ficou mais unida e acredita que “o sofrimento das pessoas se tornou uma interpelação para que muitos cristãos, mulheres e homens de boa vontade, expressassem sua fé, sua esperança e seu amor, através de gestos concretos de partilha”. Ele conclui agradecendo ao Regional pela iniciativa e a todos os que doaram para tornar possível esta ajuda: “Nossa gratidão ao Regional, em nome de tantos homens e mulheres, crianças e idosos, que podem ser apoiados pelo amor e partilha de irmãos e irmãs”.


A Campanha continua

Segundo o Secretário Executivo da CNBB Sul 3, Pe. Rogério Ferraz de Andrade, agora será realizado um mapeamento de outros locais necessitados, além de perceber quais são as necessidades que ainda persistem nas populações atingidas nas Dioceses de Santa Cruz do Sul, Montenegro e Bagé. Depois deste diagnóstico, serão realizados os repasses do valor ainda disponível.

A previsão do tempo segue assustando, já que aponta para estes dias um novo ciclone extratropical e volumes altíssimos de chuva no Rio Grande do Sul. Por isso, infelizmente a perspectiva não é boa e a há grandes possibilidades de ainda outras famílias precisarem sair de suas casas e necessitarem de ajuda. Assim, a Campanha segue arrecadando recursos, através do PIX, pela chave 33685686001041 (CNPJ).


Com informações do Regional Sul 3 da CNBB.

Fotos da Diocese de Montenegro.

Comentarios


bottom of page