top of page
Buscar

Evento reúne representantes de todas as paróquias para tratar sobre orientações administrativas


O evento "Orientações Administrativas Com Nova Legislação em Vigor - Assessoria do Escritório Benincá" aconteceu no auditório da Faculdade Palotina (FAPAS) na última quarta-feira, 14, e contou com a presença de em torno de 550 pessoas.


Dentre o público presente estavam os padres que atuam nas 40 paróquias da arquidiocese, secretários paroquiais, coordenadores das comunidades e coordenadores de CAEP (Conselho de Assuntos Econômicos Paroquiais) e CPP (Conselho Pastoral Paroquial).

O Arcebispo Dom Leomar Antônio iniciou o evento agradecendo pela expressiva presença de todas as paróquias e apresentando o contador Ildo Benincá, diretor do Escritório Benincá - Assessoria e Consultoria em Gestão Empresarial, que atualmente assessora contabilmente a Arquidiocese de Santa Maria.

O contador Ildo Benincá, citando a legislação da Igreja, falou sobre a definição de Diocese; dos seus organismos e governabilidade; da competência do Bispo; da Cúria Arquidiocesana; do dízimo e outros meios de manutenção da Igreja; da unidade na gestão pastoral e administrativa, com seus respectivos planos; da imunidade e da isenção e seus benefícios para a Diocese e as paróquias.

A metodologia do evento propôs um espaço participativo onde os participantes tiveram a oportunidade de sanar suas dúvidas.

Ao final, Dom Leomar apresentou todos os colaboradores que atualmente compõem a Cúria Arquidiocesana de Santa Maria e reafirmou 4 pontos que devem ser levados como elementos centrais do evento, sendo eles:

  • A extrema importância de que todos os documentos contábeis das paróquias sejam enviados todos os meses até o 7° dia útil para a Cúria Arquidiocesana, para que sejam tomados os devidos encaminhamentos.

  • A principal receita das paróquias precisa ser o dízimo.

  • Todas as notas obrigatoriamente precisam conter o CNPJ da paróquia.

  • Toda arrecadação financeira da paróquia precisa ser centralizada na movimentação bancária jurídica. Pessoa física e pessoa jurídica precisam ser separadas.









Texto e fotos: ASCOM





Comentários


bottom of page