Buscar

Encontro com educadores refletiu o tema “Por uma cultura da hospitalidade na educação”


O auditório do Colégio Nossa Senhora de Fátima recebeu nesta quinta-feira (25), mais de 150 profissionais ligados ao ambiente educativo para uma Roda de Conversa, coordenada pela reitora da Universidade Franciscana, professora Iraní Rupolo. Promovida pela Comissão de Educação e Cultura (CAEC) da Arquidiocese de Santa Maria, a ação engloba as reflexões propostas pela Igreja no Brasil, através da Campanha da Fraternidade deste ano: “Fraternidade e Educação; fala com sabedoria, ensina com amor”, que traz a necessidade de discutir a Educação como aspecto concreto para mudança de vida.

O encontro, que durou aproximadamente duas horas, iniciou às 18 horas com a explanação de diversos dados e do processo histórico da expressão hospitalidade. A partir do tema "Por uma cultura da hospitalidade na educação” a assessora lançou o desafio de pensar a hospitalidade como um convite ao desejo de saber da nossa humanidade. A hospitalidade constitui alternativa à prática da tolerância, em que a hospitalidade é a obrigação única que cada um tem com o outro.

Professora Iraní Rupolo, assessora da Roda de Conversa

A escuta e o diálogo também foram apontados como formas de criar condições para a hospitalidade. Entre outros pontos a uniformização como um problema na educação brasileira foi abordada. Educadores são desafiados a enxergarem as individualidades de cada educando, em um ambiente de regramento, que acarreta a morte da pluralidade cultural. A hospitalidade ultrapassa o âmbito educacional e conclama repensar o outro. O acolhimento é sempre tensionado, mas a ética da hospitalidade nos mostra que não cabem atitudes de poder, domínio e objetivação do outro.

Entre os teóricos citados pela professora Irani, um destaque para Levinas, que propõe uma reflexão do rosto e da forma como cada indivíduo percebe e se relaciona com o outro. E concluiu citando “Jesus Cristo, o hospitaleiro, conclama os educadores a não esmorecerem diante dos múltiplos desafios da sociedade”.

No espaço aberto para perguntas e respostas a questão da desconstrução das identidades de culturas, como a indígena, foi levantado. Também o quanto a globalização apresenta pontos negativos, como a uniformização e perda da pluralidade.

Na avaliação do Frei Valdir Preto, integrante da CAEC “Podemos dizer que a Roda de Conversa, atividade aberta a educadores, teve grande êxito com a fala de nossa assessora, que resgata e apresenta elementos essenciais para a prática educacional em diferentes ambientes e realidades que nos encontramos e trabalhamos, além da sala de aula. Pensando na formação continuada de quem se dedica à educação...Essa atividade acontece justamente no espaço educação – Colégio Nossa Senhora de Fátima – nossa gratidão a todos que participaram, nossa alegria, pois tivemos um grande número de educadores, a nossa assessora, Ir. Iraní, a Ir. Cleusa, diretora da escola e ao professor Antônio, vice-diretor, nosso agradecimento” – declarou o presbítero.

A roda de conversa é uma ferramenta para fomentar a formação contínua de quem se dedica à educação através do debate coletivo e participativo, e tem por objetivos: oportunizar aos profissionais da educação espaço de discussão sobre a cultura da hospitalidade no ser e no agir educativo e aprofundar a necessidade da cultura da hospitalidade na educação com os educadores.