Buscar

COLETA DE PENTECOSTES, A CONTINUIDADE DA MISSÃO EM MOÇAMBIQUE



A igreja peregrina é por sua natureza missionária. Nasce, segundo o desígnio divino, da própria missão do filho e do Espirito Santo (ad. Gentes 2). Embora varie, de acordo com as circunstancias e com o modo como é exercida, a ação missionária é a mesma e uma só”. Portanto, as diferenças que se observam na Igreja quanto ao exercício da atividade missionária, não provem da natureza da missão, mas se devem as diferentes situações em que é exercida. A diversidade de situações pode vir da própria Igreja, dos vários povos em sua grande multiplicidade, dos grupos humanos e das pessoas a que se dirige a missão (ad. Gentes 6)


Motivado por esta exortação do Concilio Vaticano II, o Regional da CNBB Sul 3 há 28 anos, mantém, em parceria com a Arquidiocese de Nampula no norte de Moçambique o projeto Igrejas Solidárias.

Esta parceria nasceu em 1989, quando Dom Francisco Silota, bispo auxiliar da Arquidiocese da Beira, Moçambique, participou da XII Assembleia Regional Pastoral realizada na atual Arquidiocese de Santa Maria, neste encontro, ele fez um apelo, pedindo missionários para a reconstruir a Igreja em Moçambique que sofria com a escassez de agentes evangelizadores num clima de guerra, comunismo e guerrilhas. A primeira equipe partiu em 1994 e de lá para cá quase 70 missionários já foram enviados para missão Ad gentes.


A atual equipe é composta quatro pessoas: Padres Luiz Weber (Diocese de Sto Ângelo) e Camilo Pauletti (Diocese de Caxias do Sul) e as leigas Maria Bernardete Acadroli (Diocese Caxias do Sul) e Maria Isabel Tromm (Diocese de Joinville).

Desde 1994, são priorizadas as áreas da saúde, educação, promoção da mulher e direitos humanos, aliadas ao atendimento religioso e pastoral. Atualmente, a equipe missionária é responsável pelo acompanhamento de paróquias que somam mais de 150 comunidades e mantém dois projetos sociais na área da educação: uma Biblioteca Comunitária que atende 100 alunos/dia e o projeto de alfabetização e reforço escolar Murima Wa Mwana (Coração de Criança), que conta com 153 alunos e 20 voluntários.


Moçambique é um dos países pobres do mundo, e para garantir a sustentabilidade da missão, a Igreja conta com a solidariedade dos fiéis de todo o Rio Grande do Sul. Na celebração de Pentecostes – este ano dias 04 e 05 de junho – todas as comunidades do estado realizam a coleta que mantém esta e outras ações missionárias. A coleta de Pentecostes, tem por finalidade manter e fortalecer o Projeto Igrejas Solidárias – Missão Moçambique, com o envio e o sustento dos missionários.


A colaboração de cada um faz a diferença e nos impulsiona para a missão, a partir desse compromisso concreto, em terras moçambicanas, junto ao povo macua. Que nossa Coleta de Pentecostes seja um profundo gesto de amor e solidariedade.




Você também pode contribuir diretamente pela conta:

Conferência Nacional dos Bispos do Brasil

Banco Sicredi

Cooperativa: 0116

Conta Corrente: 82987-2


Texto: Pe. Roni Maier - Comissão da Ação Missionária


Fonte: https://cnbbsul3.org.br/