Buscar

Cerca de 200 pessoas acompanharam a Procissão do Cristo Morto, em frente à Basílica da Medianeira

Ao realizar a Procissão do Senhor Morto as pessoas podem sentir o momento de dor da humanidade em decorrência da morte do filho de Deus.



Para aqueles que professam a fé católica a Sexta-feira Santa ou Sexta da Paixão é o dia para os fiéis se recolherem, meditarem, agradecerem e contemplarem o sacrifício de Jesus Cristo. A Basílica da Medianeira organizou, nesta sexta, 14, um cortejo com saída em frente a igreja com percurso pela avenida Medianeira até a esquina com a Rua Duque de Caxias. De acordo com agentes da Guarda Municipal cerca de 200 pessoas participaram da atividade.


Em silêncio e piedade, enquanto caminhavam, os participantes se revezaram para carregar o andor. Os fiéis acompanharam as leituras dos Evangelhos de Lucas, Mateus e João que relembram os momentos finais de Jesus. A procissão refez as ações dos discípulos do momento do recebimento do corpo de Jesus até seu sepultamento.


Ao retornar para o interior do santuário, o arcebispo, Dom Leomar Antônio Brustolin, recordou que o Sacrário está vazio e que Jesus está no centro. “Quando Ele nos amou, Ele nos amou até o fim. Se não houvesse Jesus, não haveria nada. A procissão de hoje nos lembra que a morte foi vencida pelo Senhor da vida.”


As atividades da Semana Santa continuam em todas as paróquias da arquidiocese. Dom Leomar Antônio Brustolin irá participar da Vigília Pascal neste sábado, às 20 horas, na Basílica da Medianeira.