faixa1.png

Basílica Medianeira

A Medianeira

A primeira ideia de construir um santuário à Medianeira, em Santa Maria, nasceu no Seminário São José, e foi realizada cinquenta anos depois. 

O fortalecimento da devoção à Medianeira e os inícios do Santuário devem-se ao 3º bispo da Diocese de Santa Maria, Dom Antonio Reis, chamado o "o bispo da Medianeira". Ele marcou profundamente a história da cidade e da diocese. Grande devoto mariano, promotor entusiasta do culto a Nossa Senhora Medianeira, levou em frente a construção do santuário, como extensão natural da devoção mariana que o povo vinha tributando à Medianeira, na capela do Seminário São José.

Em 1935, Dom Antônio Reis colocou e benzeu a primeira pedra do Santuário. O projeto do Santuário foi feito por Emílio Zanon de Guaporé, RS. Os vitrais, pensados e executados por ele, representam motivos bíblicos marianos, bem como os principais marcos históricos da devoção da Medianeira em Santa Maria. 

O Altar-Mor é recoberto de madeira fossilizada proveniente do município de Mata. Ao centro do presbitério é vista a imagem de Deus Trindade, evidenciando o Cristo Ressuscitado. 

O Santuário foi inaugurado e dedicado liturgicamente no dia 15 de agosto de 1985, quando ocorreu o 75º aniversário da criação da Diocese e 50ª aniversário de benção da Primeira Pedra.

A Cripta do Santuário é destinada a serviços religiosos inerentes as tarefas de um Santuário. Além disso, encontram-se na Cripta os Ossários ou Jazigos Perpétuos de falecidos.

Origem da devoção em Santa Maria

Basílica

Romaria

Campanha dos Devotos

Funcionamento

Missas

Domingos: 8h,  10h,  15h30min e às 18h no Santuário

Segundas-feiras: 18h - Missa pelos falecidos na Cripta

Terça-feira: 18h no Santuário

Quartas-feiras: 18h no Santuário

Quintas-feiras: 15h30min e às 18h no Santuário

Sexta-feiras: 18h no Santuário

Sábados: 15h30min e às 18h no Santuário

 

Missa transmitida ao vivo pela Rede Vida de Televisão: todas as 3ª segundas-feiras do me, às 9h, no Santuário Basílica Medianeira

Cripta

WEBTV